O Blog de Luis Silva

 

                       Membro da Sociedade Portuguesa de Blogs

Mantorras resolve! Daqui a duas jornadas já podemos dizer "HABEMUS CAMPEONATO"

cineblog .

2004-09-16

 

A Sida ainda é um mito em Portugal

Campanhas não têm conseguido desmontar mitos sobre Sida.
A maioria (86,9 por cento) dos adolescentes portugueses diz não conhecer qualquer pessoa infectada com HIV e um terço deles conclui que, assim sendo, a sida só pode ser uma doença inventada como medida de repressão sexual. Um grupo considerável (31,9 por cento) acredita tratar-se, além do mais, de um problema que a pílula previne.Por que surgem estas respostas? Porque os jovens estão mal informados e as campanhas audiovisuais continuam a falar do vírus da imunodeficiência humana (HIV) sem o explicar, sem especificar as vias de contágio e sem esclarecer o que fazer para evitá-lo. Tendo em conta que a maioria dos jovens possui conhecimentos sobre a doença, obtidos preferencialmente através da televisão, um estudo pretendeu fazer um diagnóstico das crenças e comportamentos dos mais novos e, ao mesmo tempo, pretendeu avaliar uma amostra de 44 "spots" de prevenção difundidos entre os anos de 1990 e 2000. Alguns números encontrados são alarmantes: metade (53,5 por cento) dos inquiridos estão confiantes de que não correm riscos de contrair a doença porque não têm relações sexuais com parceiros que consumam drogas; um em cada cinco (19,7) diz que conclui, através da observação, se uma pessoa está infectada ou não. É certo que muitos (41,6) garantem que só se envolvem sexualmente depois de recolher informações sobre o companheiro. Mas pergunta-se onde é obtida essa informação e constata-se que os jovens se baseiam no diálogo com o parceiro ou com terceiros para compreender se este está ou não infectado. Para os que optarem por uma vida sexual activa, defende-se que não basta informar acerca da existência do preservativo e que deve ousar-se explicar como se utiliza, como cada jovem pode resistir à pressão daqueles "que se negam a usá-lo por se sentirem como que ofendidos pelo facto de o parceiro aparentemente duvidar do seu estado de saúde e do seu percurso sexual".

parte de uma conclusão de um estudo de: Prof. Dr.ª Orquídea Lopes, amiga pessoal, professora portuguesa, residente em Seia, cuja tese de doutoramento, apresentada na universidade espanhola de Salamanca, foi distinguida com o Prémio Extraordinário, atribuído à melhor entre as melhores teses de doutoramento sobre Sida. Faz actualmente parte da comissão executiva da Abraço.

# posted by Luis Silva @ 11:53 da tarde


<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?